SOBRE AS FESTAS DE FIM DE ANO

"(...)
Muita coisa a gente faz seguindo o caminho que o mundo traçou, seguindo a cartilha que alguém ensinou seguindo a receita da vida normal.

Mas o que é vida afinal?
Será que é fazer o que o mestre mandou, é comer o pão que o diabo amassou, perdendo da vida o que tem de melhor?"

Carlos Colla e Gilson - autores da canção Verdade Chinesa

O fim de ano chegou e está aberta a temporada das festas. Os enfeites, o movimento nas ruas, as propagandas quase sempre com o cenário da família numerosa, feliz e com uma mesa farta. Este é o modelo de festas que costumamos ter em mente ou que nos ensinam a considerar "o perfeito" e algumas pessoas fazem grandes sacrifícios para se enquadrar. Todavia importa pensar em quem não pode cumprir à risca este modelo.

As festas de fim de ano são para algumas pessoas no mundo, catalizadoras de processos depressivos. A onda de comemorações que em geral motivam reuniões familiares e de amigos, costumam causar profunda angústia para pacientes com histó…

SOBRE MIM










Olá! meu nome é Regina Bomfim (crp 05/ 19319) e tenho a alegria de dizer que estou fazendo um caminho que me remete ao prazer de estar onde sempre quis: na área clínica.

Na verdade, estar na área clínica foi o que me fez escolher a Psicologia. Os caminhos escolhidos anteriormente me fizeram crer nos grupos como capaz de acelerar, pelo contágio o progresso do indivíduo, mas com minhas próprias vivências de pessoa individual, pelos estudos, comecei a perceber que uma alma perturbada, produz uma cidade, um país, um mundo perturbado. Na minha opinião, o ponto de partida sempre acaba sendo o indivíduo.

 Atuei na educação e no Terceiro Setor como psicóloga institucional. Mesmo revendo meus conceitos, valorizo e respeito o que vivi,  assim como os profissionais que militam nos caminhos coletivos da psicologia.

 Este retorno à emoção inicial da escolha profissional tem sido desafiador e me traz imenso prazer de estar mais próxima da verdade que me moveu na escolha do meu ofício.

A prática clínica aconteceu sempre de modo secundário às atividades acima citadas, assim como os trabalhos voluntários feitos.