CURRÍCULO, CARREIRA E TECNOLOGIA: MUDANÇAS QUE EXIGEM ATENÇÃO




Já passou pela sua cabeça a quantidade de palavras-chave que existem no seu currículo? Com as novas tecnologias empregadas, isto acaba sendo determinante para a sua entrada num processo de seleção. Os recrutadores, através de uma combinação de expressões, fazem buscas em um banco de talentos e chegam ao candidato desejado.



Ao expor em sua página inicial os termos em alta, o site americano Career Builder deixa isso bem claro e quem está em busca de uma vaga ao acessar o site logo vê em sua página inicial as palavras que, digamos, estão em evidência num certo período.

No Brasil, este recurso já é usado por várias empresas nos processos seletivos. Este tipo de busca não leva em conta quem se define como aquele que “gosta de trabalhar em equipe”, “bom comunicador”ou “resiliente” etc. A procura se dá com base nos termos ligados ao setor envolvido. Cuidar da ortografia é sempre recomendado, ainda mais nestes casos, pois uma digitação errada pode fazer com que o cadastro não fique visível distanciando o candidato da chance de participar de seleções.

Os erros de digitação são muito frequentes assim como não expor de forma clara os conhecimentos anteriores, podem do mesmo modo distanciar o indivíduo de um possível processo seletivo. As experiências devem ser comprovadas e expressas em detalhes. Não é mais usado apenas mencionar a empresa e o cargo anterior.

As especificações por nicho são critérios sempre presentes, mas as demandas do mercado podem fazer com que certos termos fiquem mais em destaque.

Estudar seus ramos para conhecer os “chavões” e saber o que está em alta, faz parte agora, do “dever de casa” do profissional contemporâneo frente às novas tecnologias. Ao procurar vagas, ter esta atenção com os termos que se repetem pode ser útil.

A consultora de carreira da Lee Hecht Harrison, Cristina Fortes em entrevista para o Boa Chance, por sua vez, lembra que para algumas atribuições há expressões similares para uma mesma função. É o caso da área de recursos humanos, em que “talento” e “capital humano” podem ser usados para o mesmo fim.
-Quando isso acontece, o ideial é que a pessoa tente encaixar estes diferentes termos ao longo do currículo para aumentar ainda mais as chances de ser capturado em uma busca por palavras-chave - avisa ela.

Empresas também utilizam as buscas por palavras-chave para saber mais sobre um conhecimento ou uma competência específica. Usar os termos específicos de sua área e também suas variantes é importante. Ao usar siglas, colocar seu significado, o que demonstra ao recrutador que o candidato está seguro de sua experiência.

Estar visível nos mecanismos de pesquisa e participar de mais processos seletivos, como consequência é uma observação a mais ao fazer um currículo hoje em dia com a tecnologia, mas nada substitui a sinceridade, mãe da coerência. Usar palavras-chaves como um “jogo” para alcançar seus objetivos pode ser algo não positivo para a imagem do candidato, pois as informações sempre são checadas pelo recrutador.

Regina Bomfim



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

SOBRE A AMBIÇÃO DO AVANÇAR DO TEMPO E SUAS RESPOSTAS: UM TOQUE DE ARTE

CRIADOR E CRIATURA

DOE VIDA: DETALHES A QUEM SE INTERESSAR