sábado, 30 de novembro de 2013

SIM, SENHOR!


Pesquisa mostra que 23% dos funcionários recebem pedidos esdrúxulos dos chefes: de espionar o gerente sênior a fazer falsos elogios nas redes

Maíra Amorim
Fonte: O Globo

Habilidades necessárias ao cargo: visão sistêmica, proatividade, dinamismo, capacidade de negociar e de planejar, postar elogios falsos sobre chefe nas redes sociais, fazer trabalhos de feira dde ciências para a filha dele e não gostar da cor cinza. Para alguns gestores, não basta se adequar ao perfil requisitado para o trabalho; o profissional precisa também atender a pedidos que vão além das tarefas relativas À sua função. Segundo uma pesquisa do site americanno CareerBuilder, 23% dos trabalhadores já foram solicitados por seus superiores para atividades extra-contrato: e tem desde de pedido para comprar armas e conseguir drogas até espionar a gerância sênior.
- Se o seu chefe pede coisas que fujam ao seu escopo de trabalho, é importante ter uma comunicação aberta em torno do que é ou não apropriado - diz Rosemary Haefner, vice-presidente de Recursos Humanos di Career Builder.

domingo, 24 de novembro de 2013

A MELHOR VIDA POSSÍVEL




Por Martha Medeiros
Fonte: O Globo

Quanto mais converso por aí, mais percebo que é inútil acreditar em verdades absolutas e fórmulas ideais de convivência. Cada pessoa tem familiares que influenciaram suas escolhas, medos herdados e medos adquiridos, sonhos altos demais ou mesmo nenhum, e um número incalculável de pergunta sem respostas, de desejos embaraçosos, de mágoas vitalícias. Quem vai decretar para mim o que é melhor para mim? E quem vai dizer o que é melhor para você? Com que topete?

sábado, 23 de novembro de 2013

A CONSICÉNCIA






A natureza possui inúmeras formas que se transmutam o tempo todo. Nada permanece estático e tudo possui a qualidade intrínseca de transformar-se no seu oposto.

Com o ser humano não é diferente e esta lei pode ser utilizada em qualquer situação de nossa existência. Tristeza pode ser transmutada em alegria, pressa em relaxamento, ansiedade em serenidade, etc.

Mas, nossos sentimentos e humores só podem passar por uma transformação se estivermos permanentemente conscientes de sua existência. Se, a cada momento da vida, conseguirmos perceber as raízes de onde surgem nossas emoções, principalmente as negativas, certamente seremos capazes de promover a mudança para um estado diferente.

Mas não é preciso uma luta desesperada para obter este resultado.
A observação permanente de nosso próprio interior, e a firme decisão de querer mudar, já se constituem num passo fundamental para alcançar esse objetivo.

O importante é sabermos que nenhuma condição ruim precisa durar para sempre, e que todos somos merecedores de viver num estado de paz e felicidade.

Ao alcançarmos esta consciência, passaremos a procurar novas maneiras de lidar com as situações da vida, de modo a transformar aquelas que nos trazem sofrimento em oportunidades de libertação e crescimento interior.




"Bem-aventurança é o único critério para a vida. Se sua vida não é bem-aventurada, então saiba que você está se movendo erradamente. Sofrimento é o critério de estar errado, e bem-aventurança é o critério de estar certo - não há outro critério.

Não há necessidade de perguntar a mais ninguém. Você pode usar esse critério todo dia, na sua vida cotidiana. O critério é a bem-aventurança. É o mesmo critério de testar ouro esfregando-o em uma pedra: o ourives jogará fora o que quer que não seja puro e colocará o que é puro na sua loja. Continue checando, cada dia, utilizando o critério da bem-aventurança; veja o que é certo e o que é errado.

O que quer que esteja errado pode ser jogado fora, e o que quer que esteja certo começará a se acumular lentamente como um tesouro."



Osho, A Jornada Interior.

domingo, 17 de novembro de 2013

VOCÊ É DOMINÁVEL? - TEXTO INSTIGANTE







Você é dominável?

Meu sonho essa noite foi estranho. Milhares de carros desciam a serra rumo ao litoral. Quase chegando na praia, helicópteros traziam militares estranhos, mas humanos, que dominavam todas aquelas pessoas dos carros. Todas as mulheres dos carros estavam vestidas de Branca de Neve e todos foram levados a uma prisão.

sábado, 16 de novembro de 2013

PARE DE ENGOLIR A VIDA!




Por Laura Cavalcanti

Desde quando você engole a sua vida?
Desde criança?
Desde adolescente?
Desde que casou?
Desde que separou?
Desde que começou a trabalhar?

Muitos são os momentos em que passamos a engolir a vida ao invés de saboreá-las...
Hora de parar e abrir a boca!
É isso mesmo! Não é fechar... é abrir a boca!
Diga a si mesmo tudo que ainda não foi dito.
Faça a sua catarse não pela descarga inócua, mas pela auto revisão.
Quando criança, você engoliu o choro...
Quando adolescente, engoliu a raiva...
Quando adulto, engoliu o desejo...

Por que será que está difícil emagrecer?
Pare de engolir, revise a sua vida e aprenda como saboreá-la.
É difícil? Procure ajuda... mas não desista de Si Mesmo!

domingo, 10 de novembro de 2013

Sobre o ser único





"Enquanto se admite o sonho, a loucura ou a percepção pelo menos como ausência de reflexão e como não fazê-lo se quer conversar um valor ao testemunho da consciência", sem o qual nenhuma verdade é possível - Não tem o direito de nivelar todas as experiências em um só mundo, todas as modalidades de consciência numa só". 

Merleau Ponty.  livro: O Visível e o invisível.

sábado, 9 de novembro de 2013

SERÁ? VALE A REFLEXÃO...

  


Vamos fazer acontecer

Jim Yong KIm

Neste momento mais de 1 bilhão de pessoas aqui vivem com menos de US$ 1,25 por dia. É uma mancha em nossa consciência moral. Devemos ajudar a tirar as pessoas da pobreza sem demora, sem preconceito, independentemente das circunstâncias e do local.

domingo, 3 de novembro de 2013

TEORIA DAS JANELAS QUEBRADAS E TOLERÂNCIA ZERO


TEORIA DAS JANELAS QUEBRADAS E TOLERÂNCIA ZERO

Obs: "Não é tolerância zero em relação ao autor do delito, mas tolerância zero em relação ao próprio delito."

sábado, 2 de novembro de 2013

GENEALOGIAS DA PERCEPÇÃO MODERNA Em tempos de dispersão hiperconectada, ensaísta americano investiga transformações do século XIX para refletir sobre a atenção humana


 No balcão (Manet)


Jonathan Crary
Por Maria Cristina Franco Ferraz



Fonte: Caderno Prosa - O Globo

Parte expressiva da obra do teórico da arte moderna Jonathan Crary encontra-se enfim disponível em português. Excelente notícia para os interessados em dimensionar criticamente o que estamos atualmente nos tornando, no que diz respeito às alterações dos modos de perceber em tempos de dispersão hiperconectada nas sociedades liberais avançadas. Escapando da crença de que a fragmentação da atenção, a descentralização do sujeito e a perda de referências são fenômenos contemporâneos, é necessário retornar ao instigante seculo XIX e estudar os momentos em que os processos de "industrialização dos regimes de contemplação" (expressão de Crary) ainda provocavam espanto, perplexidade e mais resistência do que em nossa época, quando muito desses fenômenos foram literalmente incorporados e naturalizados.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...