sexta-feira, 26 de julho de 2013

A poesia de José Saramago


Na ilha por vezes habitada
Na ilha por vezes habitada do que somos, há noites,
manhãs e madrugadas em que não precisamos de
morrer.
Então sabemos tudo do que foi e será.
O mundo aparece explicado definitivamente e entra
em nós uma grande serenidade, e dizem-se as
palavras que a significam.
Levantamos um punhado de terra e apertamo-la nas
mãos.
Com doçura.
Aí se contém toda a verdade suportável: o contorno, a
vontade e os limites.
Podemos então dizer que somos livres, com a paz e o
sorriso de quem se reconhece e viajou à roda do
mundo infatigável, porque mordeu a alma até aos
ossos dela.
Libertemos devagar a terra onde acontecem milagres
como a água, a pedra e a raiz.
Cada um de nós é por enquanto a vida.
Isso nos baste.
José SaramagoFonte:http://pensador.uol.com.br/autor/jose_saramago/

sábado, 20 de julho de 2013

O que alimenta a ansiedade: o diálogo interior






Por Regina Bomfim

Como anda a conversa que você vem tendo consigo mesmo? Já reparou quais coisas que em geral habitam sua mente ao longo do dia? São vários os fatores de risco que predispõem uma pessoa a desenvolver o transtorno de ansiedade. Estas questões acima se referem ao que é chamado de crenças pessoais. A escolha de tratar deste item em especial é por compreender ser este fator, o alvo principal da psicoterapia. 



domingo, 14 de julho de 2013

Ideologia do consumo na escola

Por Rosely Sayão
Fonte: Folha de São Paulo

Nos últimos dias, duas mães me contaram fatos acontecidos nas escolas que os filhos frequentam e que as deixaram bem aborrecidas. São dois exemplos que podem nos ajudar a pensar a respeito do papel da escola no mundo contemporâneo.

sábado, 13 de julho de 2013

Verdades e impérios





Verdades... Quantos impérios conheceram o apogeu e a obscuridade no mundo?  As verdades construídas sob o impacto da emoção, através de familiares, líderes são apenas verdades que coabitam entre milhares de outras verdades onde não necessariamente é preciso aniquilar o que parece destoar. Que as verdades sejam livres para serem ao seu modo. O diverso é bem vindo.

Regina Bomfim


domingo, 7 de julho de 2013

Relação psicólogo e cliente/paciente: um encontro a ser pautado pelo respeito e sensibilidade sem verdades impostas.

 
 
" É necessário que se permita ao paciente desenvolver seus próprios caminhos e verdades, sem nenhuma tentativa de enredá-lo no  campo abusivo dos arbítrios téoricos. A psicoterapia, dessa forma lega ao paciente a sua condição de homem, fazendo com que essa condição seja norma de toda a sua conduta terapêutica. O paciente assim é respeitado de forma única, na medida em que pode descobrir as coisas de seu mundo, e dessa forma, abrir seu campo perceptivo para os fenômenos que fazem parte da sua existência, buscando alternativas dentro daquilo que ele considera como verdadeiro. Não se impõe ao paciente normas e padrões de comportamento, nem tampouco procura-se acoplá-lo a teorias pré-existentes e pré-concebidas numa total revelia à sua própria existência (...)".
Cancello, L. A. G. , " O fio das palvras, Summus Editorial, São Paulo, 1971.
 

sábado, 6 de julho de 2013

RELAÇÃO DOS SINTOMAS DA ANSIEDADE COM OUTRAS ALTERAÇÕES FÍSICAS: UMA POSSIBILIDADE QUE DEVE SER VERIFICADA

Quando uma pessoa traz uma queixa de ansiedade como sendo causadora de transtornos e limitações no seu cotidianno é necessário observar com cuidado o funcionamento dos sistemas nervoso (central e periférico), sistema imunológico, sistema endócrino e sistema cardiovascular.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...