Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Por que a gente é assim?

Por Guilherme Coelho

Quem nunca questionou por que algumas pessoas pensam e agem de certa forma geralmente em momentos de total oposição aos nossos pensamentos e certezas? A questão é que essa pergunta é sempre feita em relação ao outro, àquele que não é igual a nós. Mas quando a pergunta é direcionada para o próprio umbigo: por que que a gente é assim?
Há dois anos junto com o escritor Arthur Dapieve e as equipes das produtoras Matizar e Novenove, vivo a aventura de pensar e produzir o projeto transmídia "Por que a gente é assim?", uma tentativa tão ousada quanto exaustiva de mapear os comportamentos e os valores dos brasileiros hoje.
Nosso ponto de partida conceitual foram conversas com professores e pensadores brasileiros em atividade hoje. Entre a bibliografia estudada estava o revelador livro. "A cabeça do Brasileiro", de Alberto Campos Almeida. E, para nos ajudar nessa navegação teórica, tantas vezes árida e abstrata, estabelecemos um conselho multidisciplina…

Viver... Como tem sido para você?

Imagem
"Muita coisa a gente faz, 
Seguindo o caminho que o mundo traçou, Seguindo a cartilha que alguém ensinou Seguindo a receita da vida normal, Mas o que é vida afinal? Será que é fazer o que o 'mestre mandou'? É comer o pão que o diabo amassou? perdendo da vida o que tem de melhor..."
(Letra da canção: Verdade Chinesa - Carlos Colla/Gilson)
Como tem sido construir a obra mais importante que é a sua Vida?  E as vezes que a Vida te convidou para traçar novas rotas? E as alegrias? As dores? Você tem cuidado bem de você mesmo? Há lugar para o carinho ou para a autocrítica severa quando se vê? Você se vê ou costuma fugir de si mesmo? Nada de respostas prontas. Quero apenas te provocar, me provocar...

Motivação e Liderança: pelas palavras de quem faz

Imagem
fonte imagem:dignow.org.br
Os desafios das organizações envolvem, de forma intensa, a capacidade de seus líderes em engajar pessoas, de forma que elas trabalhem com felicidade e qualidade. Eduardo Saggioro, sócio-diretor da Visagio Engenharia de Gestão e Flávio Guimarães, sócio-diretor da Radix Engenharia e Software. Radix e Visagio são empresas  de referência com relação ao ambiente de trabalho e que tem obtido crescimento devido ao seu estilo de gestão.

Segundo Alice Ferruccio, diretora de conteúdo da ABRH-RJ, a maioria das definições sobre Motivação foca nos fatores externos  que "são vernizes que descascam e perdem brilho rapidamente, além disso não conseguem mobilizar a pessoa para a sua verdadeira motivação".

Ele acredita que a melhor maneira de despertar a motivação das pessoas é ajudar o líder a se autoconhecer e aceitar que tem imperfeições. Assim ele estará mais apto a preparar seus liderados para que eles possam "caminhar em direção ao desenvolvimento intelec…
"Política de Privacidade" 

"Este site pode utilizar cookies e/ou web beacons quando um usuário tem acesso às páginas. Os cookies que podem ser utilizados associam-se (se for o caso) unicamente com o navegador de um determinado computador.
Os cookies que são utilizados neste site podem ser instalados pelo mesmo, os quais são originados dos distintos servidores operados por este, ou a partir dos servidores de terceiros que prestam serviços e instalam cookies e/ou web beacons (por exemplo, os cookies que são empregados para prover serviços de publicidade ou certos conteúdos através dos quais o usuário visualiza a publicidade ou conteúdos em tempo pré determinados). O usuário poderá pesquisar o disco rígido de seu computador conforme instruções do próprio navegador. O Google, como fornecedor de terceiros, utiliza cookies para exibir anúncios no PSICOLOGIA EM FOCO
Com o cookie DART, o Google pode exibir anúncios para seus usuários com base nas visitas feitas a este site.
Você po…

Beltrame adverte que UPPs estão numa encruzilhada

'Nada sobrevive só com segurança. É hora de investimentos sociais'.


Após a pacificação de 17* favelas cariocas, o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, alerta que o sucesso do projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) depende agora de investimentos maciços na área social e cobra o envolvimento de empresas e orgãos públicos. Sempre discreto, Beltrame atualmente se mostra angustiado e um pouco aborrecido: " Nada sobrevive só com segurança. Não será um policial com um fuzil na entrada de uma favela que vai segurar, se lá dentro as coisas não funcionarem. É hora de investimentos sociais", disse o secretário a ELENILCE BOTTARI e LIANE GONÇALVES. Beltrame admite estar cansado de esperar investimentos, mas garante que não vai "jogar a toalha".
Entrevista: José Mariano Beltrame Quase como um ritual de batismo, ao assumir a Secretaria de Segurança do Rio, em 10 de janeiro de 2007, o delegado José Mariano Beltrame ouviu de empresários e de representa…

Texto: Paulo Freire. Pedagogia da Esperança. Rio de Janeiro.Paz e Terra, 1992, p. 47-49

Imagem
" Minha experiência vinha me ensinando que o educando precisa de se assumir como tal, mas assumir-se como educando significa reconhecer-se como sujeito que é capaz de conhecer e que quer conhecer em relação com outro sujeito capaz de conhecer, o educador e, entre os dois, possibilitando a tarefa de ambos, o objeto do conhecimento. Ensinar e aprender são momentos de um processo maior, o de conhecer, que implica re-conhecer. No fundo, o que eu quero dizer é que o educando se torna realmente educando quando a medida que conhece ou vai conhecendo os conteúdos, os objetos cognoscíveis, e não à medida que o educador vai depositando nele a descrição dos objetos, ou dos conteúdos.

O educando se reconhece conhecendo os objetos, descobrindo que é capaz de conhecer, assistindo à imersão dos significados em cujo processo se vai tornando também significador crítico. Mais do que ser educando por causa de uma razão qualquer, o educando precisa tornar-se educando assumindo-se sujeito cognoscent…

A quem possa ser útil

Imagem
Imagem
Educação do Homem Integral 
Hubert Rohden 
O problema paradoxal da educação é abordado neste livro de maneira verdadeira e total. Seu autor, o filósofo e educador contemporâneo HUBERT ROHDEN, apoiado em sua ampla experiência, nos apresenta um livro informativo, formativo e transformativo. A essência do livro reside no conceito de que ninguém pode educar ninguém: alguém somente pode educar-se a si mesmo.
Pra ROHDEN, aquilo que hoje em dia se chama educação é, quase sempre, mera instrução, e ele enfatiza que a instrução se refere aos objetivos: a educação visa o sujeito.
É certamente necessário que o homem seja instruído – mas não é suficiente. Para ser instruído basta colher certa soma de conhecimentos exatos sobre diversos objetos que o homem possui ou procura possuir – mas, para ser educado, é necessário que dentro de seu próprio sujeito, realize as qualidades que perfazem o seu verdadeiro Eu. Descobrir fatos fora de nós é instrução – realizar valores dentro de nós é educação.
O probl…
Imagem
Cultura Zero Ruy Castro
RIO DE JANEIRO. Imagine uma cidade sem cinema, biblioteca ou livraria. Não é difícil, esta é mais ou menos a regra. Bem, se tal cidade existe também não terá um teatro e muito menos um museu. Talvez nem mesmo um jornal, semanal que seja. Muitas não têm nada disso e, apesar de todo o prestígio da música popular, também não contam com uma casa de shows, loja de discos, nem pensar.
Donde essas cidades são habitadas por pessoas que nunca assistiram a um filme ou peça de teatro. Espetáculo de dança, esqueça. Nunca ouviram um concerto, nunca viram um quadro ou escultura importante e, bem provável, nunca leram um livro que não fosse o da lição. Da mesma forma, nunca recitaram ou ouviram um poema, não sabem o que é ópera e os cantores que conhecem é por ouvir falar.

Há muitas cidades assim no Brasil. E não pense que sejam burgos perdidos no sertão ou no meio da selva amazônica. Alguns são bem conhecidas pelo nome e ficam em estados prósperos e orgulhosos, mais perto de nós…

A Mágoa e o Ressentimento

Por Regina Bomfim Há acontecimentos em nossas vidas que deixam marcas, como cicatrizes alojadas na alma... Aquilo fica ali, guardado e a vida segue seu rumo. Ou pensamos que a vida segue. É uma pessoa ou situação que consideramos injusta, como uma palavra agressiva; um amor que se foi numa hora quando parecia tudo perfeito, para sempre e o "pra sempre, sempre acaba", como dizia na canção de Renato Russo; um amigo, um colega de trabalho querido e considerado de confiança, "te puxa o tapete", quando pessoas consideradas afetivamente essenciais não te dão crédito... São cenas carregadas de emoção que ficam armazenadas na nossa mente como um filme. E por mais que a vida caminhe, estas cenas estarão de algum modo presentes em situações semelhantes que acabam acontecendo.
Falo da mágoa e do ressentimento mesmo sem que percebamos à primeira vista, faz com que nossa existência se pareça em alguns momentos como um CD arranhado. Muito engraçado os mecanismos da vida, repare be…

A Mulher Maravilha

Imagem
Fonte da imagem: mulheresmodernasonline.blogspot.com


Só ela pode corresponder a tantas demandas
Por Magdalena Ramos*
Entre tantas demandas como a mulher encontra equilíbrio? Não encontra. Estamos falando, especialmente, de uma mulher com filhos pequenos e que trabalha fora de casa.
Costumo opinar que a mulher está se transformando na "Mulher Maravilha", que tem de ser boa em tudo em tudo: ótima mãe, ótima esposa, ótima dona de casa e ótima profissional. Só a Mulher Maravilha pode corresponde a tantas demandas. Essa alta expectativa que a própria mulher exige de si mesma e que, de alguma maneira, também ocorre por parte da sua família, acarreta um estado de permanente culpa. Ela vive com sua conta no vermelho, sempre está devendo para algum setor da sua atribulada vida: no trabalho, pensa que deveria estar com seu filho; quando está com o filho, sente estar desatendendo o marido; quando está com o marido e com o filho, lembra-se do trabalho que trouxe para terminar em casa e que …