Um não à violência



foto:www.billvaz.wordpress
Há 11 anos, manifestações repudiam a exploração sexual infantil


Jhonata Mendes, Nayara Mantovani e Mayara Dantas, do Vrajovem Campinas (SP)*


Em 1973, Araceli Cabreira Sanches tinha oito anos quando foi brutalmente violentada por um grupo de jovens de classe média alta da cidade de Vitória (ES). Os autores desta ato estão impunes até hoje. Este triste episódio fez da menina o símbolo do combate à exploração sexual infantil.


A indignação gerada pela impunidade dos autores deste ato e a repercusão internacional levaram à criação da Lei n0 9.970/2000 que instituiu 18 de maio como o Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Anualmente esta data é lembrada pelas várias entidades de defesa de direitos infanto-juvenis, que promovem eventos nacionais e internacionais para lembrar à sociedade e as autoridades da importância do combate de atos que vitimou Araceli.


Em Campinas (SP), o 18 de maio não passou em branco. Mas um evento de enfrentamento ao abuso sexual reuniu a população para assistir várias apresentações de grupos e bandas que alertavam sobre a importância do tema. O evento contou com a participação de representantes do poder público e de várias instituições de defesa à infância e à juventude.
"As pessoas pensam que a palavra de Deus está apenas na bíblia, mas na verdade, ela se encontra na reta consciência de cada indivíduo", disse o padre Vinícius Paula, um dos participantes do evento, fazendo uma reflexão sobre a necessidade de praticar o bem em todos os momentos.


Disque 100


Denúncias de casos de violência sexual podem ser feitas pelo Disque 100. De acordo com a publicação Disque 100: Cem mil denúncias e um retrato da violência sexual infanto-juvenil, da Secretaria Especial de Direitos Humanos de 1997 a 2009, o serviço recebeu 100 mil denúncias e no período de 2003 a 2009, a Região Nordeste é a que registrou o maior número de casos
Índice de Denúncias de Exploração Sexual por região (2003 - 2009) 
Região Nodeste - 33.440 denúncias = 34,22%
Região Sudeste - 31.844 denúncias = 32,58%
Região Sul - 12.884 denúncias = 13,18%
Região Centro Oeste = 9.833 denúncias = 10,5%
Região Norte - 9.749 denúncias = 9,97%


Tá na mão
foto::www.arautonline.com.br
Use o Disque 100 para denunciar casos de exploração sexual contra crianças e adolescentes. O serviço funciona diariamente das 8 às 22h. As denúncias podem ser feitas também pelo e-mail: disquedenuncia@sedh.gov.br
*Um dos conselhos jovens do Vira presentes em 22 estados e no Distrito Federal (sp@viração.org.br)
Fonte: Revista Viração n073 junho 2011, p. 08 - www.viração.org.br


Comentários